info@purachuva.com.br

Ceras vegetais e a revolução dos veganos

Quem ama incondicionalmente as pequenas abelhas e todos os primores que elas produzem pode se ver em contradição quando assume uma postura dentro do veganismo e contra a violência dos animais. O mel e seus derivados são compostos da natureza muito medicinais e usados há milhares de anos para tratar diversas doenças, principalmente gripes, resfriados, baixa imunidade.

A cera de abelhas hoje é muito usada pela indústria de cosméticos por ser um ativo suave que ajuda a dar consistência e dureza às fórmulas, como é o caso dos protetores labiais e batons, ou para medicamentos, produtos médicos e cirúrgicos, setor odontológico, culinária, etc. É uma cera que se mistura facilmente a qualquer outro ativo oleoso e na cosmética natural é usada na composição de pomadas, unguentos e emplastros.

43066063As ceras vegetais, como a cera de candelila e carnaúba, também são utilizadas há dezenas de anos em outros setores da indústria, e têm sido substitutos 100% naturais e vegetais à cera de abelhas.

A cera de candelila é uma cera extraída das folhas de um arbusto de mesmo nome nativo do México. Hoje sua produção é controlada para assegurar que o cultivo não prejudique o ecossistema e possa ser feito de maneira sustentável. É rica em nutrientes e como todas as ceras proporciona uma camada protetora à pele e facilita a absorção de outros ativos naturais. A candelila é suave, fina, delicada e idêntica à cera de abelhas em proporção e aplicações.

A cera de carnaúba é extraída das folhas do olho da carnaubeira nativa do Brasil, é uma cera mais resistente, mais difícil de derreter, mas nos últimos anos foi alvo de pesquisas que descobriram sua eficácia na proteção contra os raios ultravioletas e agora faz parte da composição de protetores solares. Pode ser encontrada em variações por tipo de refinamento para os diferentes setores da indústria. Comparada à cera de abelhas deve ser usada em metade da proporção para a mesma textura.

Decidimos usar apenas ceras vegetais por considerar que devemos preservar o máximo possível todo o poder de cura das nossas amadas abelhas, e ainda com a possibilidade de manter a mesma textura e poder protetor à pele.

Os produtos veganos são uma verdadeira revolução na indústria de cosméticos, pois são reflexo da luta contra os testes em animais ainda muito frequentes e parte das exigências por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) para a comercialização de muitos tipos de produtos. Quando mudamos os nossos hábitos em prol de uma vida mais natural descobrimos que todas as nossas necessidades podem ser supridas sem a necessidade de produtos com essa origem. Cabe a nós exigir que as empresas mudem suas práticas e possam usar a tecnologia para criar alternativas mais humanas e eficientes em testes dermatológicos.

Fonte de pesquisa:

GM Ceras

Lush Cosméticos Frescos

Proteção solar e outras surpresas da cera de carnaúba

 

4 Comments

  • Muito bom o seu post, parabéns!
    Sofro bastante em relação à depilação, pois faço em um local com cera que tenho certeza que é da abelha 🙁 tentarei achar outra solução, pois estou no processo para virar vegana, e não quero usar nada que contenha sofrimento animal </3 Estou lutando para mudar e conscientizar todos a minha volta. Beijos :*

    Reply

    • Oi Luana, nunca tinha pensado nas ceras para depilação, realmente, sempre são de abelhas. Eu uso o depilador elétrico e funciona muito bem pra mim, é só questão de se acostumar com um hábito diferente. Ótima semana e gratidão por sua visita 😉

      Reply

    • Gente, que sofrimento sem sentido!! Ninguém obriga as abelhas a fazerem mel e cera, e também não vamos obrigar as abelhas a não fazerem mel e cera… E tem mais, vocês acham que tudo tem sofrimento animal… E as plantas?? Que sofram né?? As plantas sofrem, sentem dor, mas, como não emitem sons todo mundo acha que não sentem nada… Elas sentem e sofrem… E tem mais, quando se tira uma folha, flor ou fruto o certo é pedir licença para a planta que ela solta a folha ou fruto ou outra parte mais fácil e com menos dor, e o certo é dar em troca um presentinho que normalmente é leite e/ou mel para os elementais da natureza… Então, concluindo: não podemos obrigar as abelhas a parar com a produção de mel e cera e as plantas sentem dor sim e sofrem também, então, sem exageros, senão vai estar em breve todo mundo comendo pedra e areia… Na bíblia Deus nos diz para comer animais e vegetais e que alguns foram criados exatamente para nos alimentar… O leão mata animais menores violentamente e ninguém vai lá brigar com ele… Fica a dica… Amo a natureza, estou trocando alimentos por alimentos mais naturais e saudáveis, inclusive vou trocar o leite de vaca por leite vegetal e iogurte feito com leite vegetal como queijo e manteiga, mas, a carne não deixo não, minha mãe sofre de anemia e não cura, imagine se for comer 60 kg de brócolis para substituir um simples bife, é essa a concentração de ferro… Quero engravidar em breve e não vou sacrificar meu filho com anemia, afinal existe a hereditariedade… Também não vou deixar de comer brócolis porque ele sofre… Fica a dica…

      Reply

      • Olá Andréa, você tem razão em relação aos exageros em todos os casos, temos que viver de forma a deixar a nossa vida o mais equilibrada possível, dentro das crenças e conceitos de vida, mas a questão da cera das abelhas aqui mencionada é porque consideramos que o mel e seus derivados são um néctar das queridas abelhas incrivelmente medicinal, então se existem fontes vegetais com funcionalidades idênticas, podemos destiná-los ao uso cosmético e deixar as abelhas tranquilas, isso seria um grande passo para este movimento pelo fim da exploração dos animais. Explicando melhor: o movimento que existe hoje em relação ao sofrimento dos animais é baseado na exploração deles para consumo humano, isso quer dizer tortura, cativeiro, maus tratos, violência desnecessária, entre outras coisas. Também acredito como você que a vida nos condiciona a algum tipo de sofrimento, mesmo que seja na forma de uma planta, porém todos os seres tem o direito de viver com dignidade ou dentro de sua cadeia de sobrevivência natural, quando as pessoas me procuram preocupadas porque consideram o consumo da carne, leites e seus derivados importante para suas famílias, eu sempre digo que um caminho é priorizar o consumo de ovos orgânicos, carnes de animais criados livres, leites direto do produtor ou cooperativas, ou conforme as possibilidades da vida que cada um permitir. Tenha uma ótima semana e agradecemos por sua visita em nosso site 😉

        Reply

leave a reply